Recado do Economista | Sobre Ações e Relações

Tempo de leitura: 2 minutos

Escolher uma ação é como escolher um relacionamento para a vida.

Antes de ir adiante faço uma advertência de não incorrer no equívoco de escolher uma relação para vida como se estivesse escolhendo uma ação. Esse sim é um erro fatal que pode arruinar a sua vida.

Dado o aviso me permito ir adiante: como todo relacionamento duradouro, a melhor ação que você poderia comprar hoje também está sujeita a altos e baixos, mas é ela que vai proporcionar a você os momentos mais incríveis da sua vida.

E se corriqueiramente questionamos as nossas mais íntimas relações, não há porque não questionar a nossa mais queridinha ação. Em 2009 as ações da OGX atingiram a cotação de mais de R$ 2.200,00, tendo se multiplicado por 10x em menos de dois anos. Muita gente se empolgou. Hoje ela vale R$ 3,49, uma queda de 99,84%.

Para muitos, foi um casamento precipitado e mal-sucedido. Uma paixão de verão que se transformou em um relacionamento abusivo e degradante.

Por outro lado, há exatos 15 anos atrás uma ação do Itaú custava R$ 0,53 e hoje custa R$ 13,28. Uma lua de mel sem fim.

Devemos saber minimamente onde estamos nos metendo. As possibilidades de perdas são tão relevantes quanto as de ganhos. Compreender a essência (valor) é muito mais importante do que entender a aparência (preço).

Warren Buffett traduziu isso com um dos seus geniais bordões: “Preço é o que você paga, valor é o que você leva”. E assim como no mercado de ações, é muito perigoso insistir em relacionamentos que não valham a pena.

Empresas lucrativas, bem geridas e pouco endividadas sempre são as melhores pretendentes para você ficar para o resto da vida, como uma bela parceria. E nós do GuiaInvest temos a missão de ser um “conselheiro amoroso” para os nossos alunos e leitores.

Nosso mais novo projeto é o do Salário Vitalício sem Trabalhar. Nosso objetivo consiste em que nossos leitores conquistem através dos investimentos em ativos muito específicos o valor de um salário, de forma recorrente e definitiva. Não tem nada a ver com parar de trabalhar.

E queremos convidar você para conhecer esse projeto.

Antes de encerrar, um breve comentário:

Semana passada comentei aqui que os economistas previam uma inflação de 0,15% para o mês de março.

Hoje o IBGE divulgou e a inflação para esse mês ficou em 0,09%. Com isso, acumulamos uma inflação de apenas 0,7% em 2018 e de 2,68% nos últimos 12 meses.

Esse dado reforça o quanto o mercado vem superestimando as expectativas de inflação nos últimos 2 anos. Bom para a Selic, que deve permanecer por bastante tempo em patamares mínimos históricos. Bom também para quem investe na bolsa aplicando o Método Bala de Prata®, a nossa flecha de cupido mais certeira.

Um abraço e até semana que vem.

Martin é bacharel e mestrando em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.