• Ramiro Gomes Ferreira

    Excelente artigo, André!

    Infelizmente, muitos iniciantes cometem um ou mais erros destes (eu mesmo cometi vários).

    Sobre “Comprar ações porque viu algo na imprensa”, aqui vai um excelente exemplo: em 30/12/2014 um colunista da Zero Hora dedicou sua coluna para incentivar os leitores a “comprarem ações da Petrobrás”.

    Para sustentar sua “dica” (que, aliás, ele nem poderia dar, por não ter as certificações necessárias), ele utilizou vários argumentos ralos, como “ela não vai à falência”, “é robusta como um javali”, etc. Nada de interpretação dos demonstrativos contábeis… Basta dar uma olhada aqui: http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticia/2014/12/david-coimbra-compre-acoes-da-petrobras-4672486.html

    Não preciso nem dizer que, de lá para cá, quem seguiu esta grande dica já amarga prejuízo de mais de 55% sobre o valor investido…

    Gostei muito, também, da parte em que você fala dos grandes vilões dos investidores: a ganância, a autocofiança exacerbada e o descontrole emocional. No clube do valor, dediquei uma página inteira para falar em maiores detalhes sobre as principais características que os investidores devem desenvolver: conhecimento, paciência e disciplina.

    Acho que vale como uma leitura complementar :) http://clubedovalor.com.br/investir-dinheiro

    Forte abraço,

    Ramiro

  • Leninha Cabral

    Como iniciante eu estava juntando dinheiro para comprar ações de algumas empresas que considero boas. Uma delas saiu numa revista de investimentos que destacava “as empresas mais sólidas que existem na América Latina”. No dia seguinte as ações dessa empresa dispararam. Minha reação: “eu devia ter dinheiro quando estava barato… agora é esperar cair novamente”. É uma pena, mas agora o preço dela está muito caro para os dividendos que paga.

    • Douglas Dias

      Leninha Cabral, se vc vê valor na empresa, se ela apresenta bons fundamentos e lucro consistente, se a sua ideia é ser sócia da empresa por muito tempo, variações de preço no curto prazo não deveriam importar, na minha opinião. Abcs

      • Leninha Cabral

        Eu concordo com você! É que agora eu não consigo comprar um lote grande de ações =( aí as taxas de corretagem já não compensariam. Mas, sim, eu acredito que a empresa seja realmente boa e pretendo ou comprar ações quando baixarem o preço ou juntar o suficiente para comprar um lote maior.

  • RuydeFreitasMartinsBarbosa

    Boa tarde, André, tudo bem?
    Tentei contato respondendo o seu email marketing, mas ainda não obtive resposta. Vou tentar por aqui.
    Acho que tenho um tema bem interessante para você explorar, algo que para mim é o grande gargalo do pequeno investidor em valor:
    A hora certa de vender. Aplicar uma regra para sair caso perceba que os fundamentos estão virando.
    A parte fácil, depois de muito estudo, é comprar: entender o ROE, ML, Lucros crescentes, dívida baixa, etc. E comprar em momentos de baixa, como agora.
    Mas a hora de sair sempre me intrigou: o investidor em valor fica meio engessado, não quer vender, afinal investimos para o longo prazo, e ficamos achando que a empresa vai se recuperar.
    Será que você poderia, por favor, abordar um ou mais set-ups de saída para o pequeno investidor?
    Por não ter conseguido formular um set-up objetivo de saída, migrei toda a minha posição de ações para FIIs, dentro da alocação de RV.
    Um grande abraço e parabéns pelo excelente trabalho. Provavelmente comprarei seus infoprodutos!

    Ruy