• José

    André, Tudo isso que você orienta é muito importante e eu já venho fazendo isso há mais de 30 anos. Já consegui juntar boa parte do que preciso para completar minha aposentadoria. Agora estou muito preocupado em garantir que esse dinheiro não se desvalorize com a inflação e até, que possa crescer alguma coisa. Nosso país está uma vergonha de corrupção e ladroagem e pode haver desvalorizações, quebra de bancos e empresas e até confisco de dinheiro. Então pergunto: como investir o dinheiro, de forma protegida contra essas coisas?

    • Ivan C. Momm

      Para o seu objetivo, que é se proteger da inflação, a recomendação é a aquisição de títulos públicos (Tesouro Direto), especialmente a NTN-B, que é vinculada a variação do IPCA.

  • Janete Barbosa

    Otimas dicas, eu comecei economiza/poupar para a aposentadoria há uns 5 anos, mas… sou desorganizada, rsrs… Preciso me conscientizar

  • Walter

    Sempre escutei meu pai me falando pra poupar dinheiro desde muito novo e nunca dei muita bola pois não tinha o exemplo. Hoje me arrependo pois teria guardado no minimo por 10 anos. Agora que me tornei pai, vejo a necessidades das reservas e estou começando a poupar. Ótimas dicas sou organizado à um meio termo, mais estou tentando melhorar a cada dia.

    • Fábio

      É verdade amigo. Seguindo o seu exemplo, eu também, infelizmente, só tomei consciência mesmo da necessidade de se fazer uma reserva para emergências quando eu me tornei pai. Como faz falta não ter um dinheiro guardado. Agora, pela dor, estou aprendendo a economizar mais nos meus gastos e pensar no futuro…

  • Alexander Marco Busnardo Priet

    Me desculpe André, mas achei a comparação nada convincente. É utopia acreditar que um jovem de 20 anos e um não tão jovem de 40 anos, obteram retornos médios de 7% ano ano durante 40, ou mesmo, 20 anos. O quarentão, mesmo começando mais tarde, pode acabar se saindo melhor, se investir em um momento melhor do mercado. Na teoria, para efeito didático, tudo bem, mas a prática a coisa não é bem por aí. Logicamente, que entendi que o artigo prioriza a disciplina de gastos visando potencializar a poupança mediante investimentos. Mas esta história de que o tempo de investimento é “garantia” de um melhor resultado desafia inúmeras críticas. Na boa, não me leve a mal, esta é só minha opinião. Blz.

    • Paulo Dias

      Alexander, ele fixou a taxa para poder ter um referencial. Caso vc tenha entendido isso, me desculpe.

      E por outro lado, a oportunidade que o de 40 anos pode ter tido ao entrar no mercado poderia ter sido aproveitada pelo de 20 anos também, porque temos que admitir igualdade de condições. Caso não haja igualdade de condições, aí qualquer coisa pode acontecer.

      Novamente, me desculpe se vc entendeu isso! Grande abraço!

      • Oliveira

        O Paulo já explicou super bem, mas recomendo você a pegar um gráfico de 25, 30 anos de um investimento com juros compostos e veja que no final o crescimento é exponencial, assustador.
        Abs.

  • Liliani Cartonilho

    Eu sempre fui do tipo “econômica” mas tb nunca soube dizer “não”. Juntando esses 2 fatores, sempre tive amigos e familiares q sabiam que podiam contar comigo em casos de aperto. Por isso nunca consegui juntar um bom pé-de-meia. Assim, quando resolvi comprar meu apartamento financiado (pasme!), raspei todas as minhas economias para pagar aquelas taxas e parcelas que temos quando adquirir um imóvel.
    Mesmo pagando prestações, sinto q consegui investir em algo q me traz paz e acabei criando um slogan “não contem comigo pra socorrer ninguém pq agora eu tenho um apartamento que conta comigo todo mês.”

    Tá funcionando a um ano….. rs

  • Janete Barbosa

    Muito bom o texto!!! Estou juntando um dinheiro todo mês e acreditando sim que os juros compostos podem fazer uma grande diferença no futuro.