• Ramiro Gomes Ferreira

    Mais um excelente artigo, André! Meus parabéns!!

    Esse estudo aqui (http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-2449513/Money-DOESNT-buy-happiness-How-friends-family–flashy-possessions–bring-true-contentment.html) complementa a visão de que não são os objetos (bens materiais) adquiridos pelo dinheiro que trazem a felicidade. Os relacionamentos (seja com sua família ou amigos) é que geram felicidade!

    E como o dinheiro pode ajudar nisso? Muito simples: com mais dinheiro, você pode passar muito mais tempo com sua família e amigos. O dinheiro lhe proporciona a liberdade para seguir suas paixões…

    Quanto a ideia de “não gaste para impressionar os outros”, existe uma frase que eu gosto muito, de Will Rogers, que resume bem isso: “Muitas pessoas gastam o dinheiro que ganharam… Para comprar coisas que elas não precisam… Para impressionar pessoas que elas não gostam.”

    Legal, né?

    Grande abraço,

    Ramiro

    PS: Eu proponho uma discussão sobre os benefícios do dinheiro nessa página: http://clubedovalor.com.br/economizar-dinheiro/
    Acredito que possa ser uma leitura, de certa forma, complementar a esse excelente artigo seu!

  • Liliani Cartonilho

    É bíblico que “melhor coisa é dar do que receber”. A sensação ao ver na mídia que aquela instituição que vc contribui está fazendo a diferença, nos proporciona um prazer enorme e uma alegria gigantesca….. e olha que nem sou rica……. ainda

  • Agton

    Obrigado André por compartilhar este artigo conosco! Achei em especial o tópico 2 “Gaste dinheiro com os outros” esclarecedor. Poder usar seus recursos pessoais para ajudar outros é uma experiência extremamente agradável! Do meu ponto de vista pessoal achei que este ponto que destaquei anteriormente é o que traz mais felicidade. “Há mais felicidade em dar do que em receber” já dizia o fundador do Cristianismo.
    Parabéns por mais este artigo!

  • Rogério Ribeiro

    Bela mensagem.

    • Mais uma vez, obrigado Rogério.

      Fico feliz de ver que você está sempre acompanhando o Blog.

      Um abraço!

  • Erick Petrucelli

    Ótimo texto, André. É muito curioso ver quantas pessoas acumulam grandes fortunas e se consideram infelizes ainda assim (e, pior, aqueles que optam pelo suicídio pois tem tanto dinheiro e nenhuma relação pessoal de verdade que não seja baseada em interesse financeiro). Se todos parassem para análisar os pontos apresentados aqui, não só teríamos pessoas mais felizes, como teríamos uma sociedade mais equilibrada e saudável (dada a importância de contribuir com o próximo, por mais egoísta que pareça, para seu próprio bem-estar). Por fim, apesar de não ser rico (ainda…) concordo com todos esses pontos e já tento exercitá-los em minha vida, mesmo que muitos parentes não entendam porque prefiro “gastar” com viagens ao invés de trocar de carro.

  • Ademir Da Silva

    Bela oportunidade de reflexão sobre os valores que realmente queremos cultivar. Fatos recentes me confirmam que pessoas que gostam de estar comigo, sentem minha falta ou querem estar comigo, não agem ou sentem isto por esperar retorno financeiro. eles geralmente já estão comigo há muitos anos.

  • Caio César Monteiro

    Excelente artigo !!! Abs

  • Gilmar Mota

    Muito bom artigo..Realmente faz sentido tais observações.

  • Douglas Dias

    Muito legal esse artigo. Sobretudo pelas referências no assunto que você cita. Obrigado.

  • Vinicius Lopes

    Uow… show o artigo André… !!

  • Janete Barbosa

    Muito bom seu artigo! ! Obrigada por compartilhar…

    • Eu que agradeço a sua participação aqui no Blog, Janete!

      Um abraço!

  • Papo Furado

    olha, sem querer me gabar, esta ‘filosofia de vida’ me rege há anos, quando larguei tudo e recomecei aos 42 anos de vida. Graças a Deus – e a certas atitudes descritas acima – consigo ter minha dose de felicidade sim!

  • Diogo

    Realmente é algo que coloquei em prática há algum tempo e, posso te dizer, foi a melhor coisa que fiz. Comprar simplesmente por comprar para ter algo do ano ou mostras para as pessoas consome a felicidade e a entrega para os outros. Quem fica feliz em se mostrar para os outros e se gabar? Ao menos eu gosto de ver as outras pessoas felizes também. E isso é o que mais imposta para sociedade!